terça-feira, 17 de fevereiro de 2009


Eu gosto de jogar poker e jogo bem, muito bem, melhor ainda se for strip poker, mas nessa última categoria, dependendo dos parceiros, é até melhor fingir que não sei jogar, mas aí é outra história.
Queria jogar poker profissionalmente no Brasil, juro, mas não pode né, os jogos de azar são proíbidos no país desde muito tempo (anos 40?) e entende-se por jogos de azar qualquer jogo onde a possibilidade de ganhar ou perder não dependem da habilidade do jogador, mas sim exclusivamente do azar do apostador, como a roleta.
O Poker não, poker definitivamente não entra nessa categoria, é um jogo de habilidade, de observação. Cada jogada que o jogador faz gera um ganho. Se é positivo ou negativo depende pura e exclusivamente da habilidade do mesmo. Claro que ele, o jogador, pode fazer a decisão correta e perder, pois as cartas que estão para vir são aleatórias, porém, após jogar por muitas e muitas mãos, fazendo decisões corretas (ou seja, decisões que gerem ganhos positivos para o jogador), a matemática o 'protege', anulando o fator "azar" que ele pode ter tido em um curto tempo mesmo fazendo decisões com ganhos positivos, e assim vencer a partida.
Pra mim BBB sempre foi isso, uma partida de poker, mas na real ele é um jogo de azar onde cada participante fica à deriva de acontecimentos externos. Uma pena. E também ai de quem declarar e mostrar alguma habilidade de jogo tal qual um jogador de poker. É sumariamente eliminado. Ninguém nunca teve peito de se assumir assim numa edição de BBB, talvez por essa herança de proíbição que carregamos por décadas e qualquer pessoa que pratique jogos de azar ou não, seja marginalizada e deve ser tratada à margem da sociedade.



Um dos grandes trunfos de um jogador de poker é o blefe que definitivamente não combina com autenticidade, principal "trunfo" de um jogador, ops, participante de BBB

13 comentários:

Filipe disse...

qual o nome do gato de óculos?

Filipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

(comentário aleatório)

"bonito esse cinto. é da tok&stok?"
francine, para ralf.

Felipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe disse...

Também gosto muito de poker, e considerei essa metáfora muito boa.

Infelizmente ser um "jogador" no Big Brother Brasil ainda é pejorativo, independente deste jogo ser limpo, ético, etc. Uma boa parte ainda prefere ver uma pessoa "autêntica" do que um "jogador" no Big Brother.

Eu prefiro um jogador autêntico. :)

PS.: Existem campeonatos de poker no Brasil sim. Acho que campeonatos não podem ser considerados jogos de azar, pois você teoricamente paga uma taxa de inscrição e recebe um prêmio de acordo com a sua classificação. Dá uma googlada aí que você acaba encontrando alguma coisa.

Leonardo S. disse...

Poker é um jogo de informações. Quanto mais tempo você joga contra alguém, mas dados sobre a maneira de jogar dele você tem. E vice-versa. No momento em que a direção do programa parou de informar aos participantes a porcentagem dos paredões e o número de votados nas indicações da casa, ficou quase impossível para eles saberem quem é quem na mesa. O único modo de conseguir alguma informação atualmente é perceber a maneira e a quantidade de vezes de como o Bial se dirige a outro participante.

Não precisava ser nenhum gênio para notar que o Tom não tinha uma boa imagem, pela forma como Bial o abordava. Do mesmo modo, se alguém nunca é perguntado sobre nada é sinal de que nem aparece na edição.

PS: Para quem perguntou, o cara da foto é o Peter Eastgate, dinamarquês atual campeão do mundo.

MaQ disse...

bom, dá pra jogar poker on-line...

Primeiro e último pensamento do dia. disse...

Recado no diário da Fran para Djota:

Oi baby coelhinho … nao sei se vc vai ler… mas queria te dizer que aqui as coisas são bem diferentes e as vezes saem do controle. Não pense que nao amo vc e que nao penso em vc a cada minuto. só quero que vc lembre da pessoa que fui ai fora pra vc. Vim em busca de um sonho… e queria que vc estivesse aqui.

Esse é só um dos muitos recados que a Fran deixa, dia apos dia, para Djota, que por sua vez já saiu até em capa de revista, confessando ser o "caso" de Francine aqui fora.


Axo que Max nem imagina que Fran pode por a perder toda a far ça, montada por eles ainda no 8p, por pura burrice. Fran ñ imagina que sabemos quem é Djota ou como ela chama "baby colelhinho". Imagino como, apesar disso tudo, o casal Fran e Max ainda pode ter sgeuidores fieis? Sera que essas pessoas nem se dão ao trabalho de olhar as muitas declarações de Fran no dirario do bbb? Ou gostam mesmo é de ser enganados e passados para tras por esse povo que tem medo de mostrar quem realmente é, e perder o 1.000.000. Para justificar tanto medo coisa boa ñ devem ser.

Lucas disse...

acho que essa história de que ninguém teve peito pra se assumir jogador não é bem assim.

uma vez no bbb, acho que não dá pra sair falando que está jogando. o jogo bbb consiste na boa convivência dentro da casa, formar alianças e tal e cativar de alguma forma o público aqui fora.

se uma max da vida vai lá e enche a boca pra dizer que está jogando, vai acabar sendo mal visto tanto pelos participantes quanto pelo público - talvez não pelo pessoal dos blogs ou por quem tem noção de que se trata de um jogo, mas pelo grande público, que acaba realmente fazendo a diferença na decisão (embora eu ache que a essa altura do jogo não faz mais diferença o max se declarar jogador ou não).

pra quem assiste, alguém como o alberto cowboy ou jean massumi é muito interessante, porque cria um enredo pro jogo. agora, nenhum participante tem interesse em se tornar o vilão da edição e sair escorraçado a primeira vez que cair no paredão.

Felipe disse...

Lucas disse...

uma vez no bbb, acho que não dá pra sair falando que está jogando. o jogo bbb consiste na boa convivência dentro da casa, formar alianças e tal e cativar de alguma forma o público aqui fora.

...

Eu concordo com você que não dá pra sair falando que está jogando. Só que eu lamento isso.

Não acho que "estar jogando" seja incompatível com "boa convivência".

Acho que "estar jogando" é 100% compatível com "fazer alianças" - apesar de não ser apenas isso.

E infelizmente acho que "estar jogando" é incompatível com "cativar de alguma forma" a maior parte do público aqui fora.

Mas estou com esperanças de que esse BBB represente a quebra desse paradigma de que jogador tem que ser escurraçado do programa.

Mixéu disse...

Prefiro jogar truco... mas se gosta de pôker, that's right...

Mary W. disse...

sem mais. per-fei-to.

fernando disse...

melhor analogia que já li sobre o BBB como jogo...

e, discordo quanto ao BBB ser jogo de azar... eu acho que é um jogo de poker... talvez ele já tenha sido de azar... mas atualmente, principalmente devido o 'papel' da produção... é um jogo de poker...

os participantes não estão a deriva dos acontecimentos externos, eles sabem que faz parte do jogo, ou deveriam saber. Nada acontece ao acaso lá. é tudo dirigido, direcionado.

hoje... o bom jogador é aquele que conquistar a produção.. quem sabe amanhã apareça um que consigo jogar com a produção e conquistar o público. Aí quem sabe o BBB seja um jogo completo....