sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Meu post inaugural


Era o distante ano de 2008. Naquela época, cada dólar custava pouco mais de R$ 1,70. Fidel Castro ainda era o comandante de Cuba, Itaú e Unibanco eram dois bancos distintos, o São Paulo tinha ganho apenas cinco campeonatos brasileiros, padres não voavam com bexigas e, apesar de sua sempre conhecida perícia com bolas, ninguém ainda questionava a sexualidade do Ronaldinho. Nessa época eu era um menino loiro e desempregado, que não cortava o cabelo com muita frequência e sobrevivia de poupança e pequenos trabalhos inconstantes e indignos. E não podemos esquecer: o NX Zero era a banda do momento, isso é muito importante.

Foi neste contexto que começou o Big Brother Brasil 8. Não preciso explicar muito sobre isto.

Todo o meu mau humor do passado advém dessa marmelada que foi Rafinha. Tudo bem que a graça do programa não está só em saber quem ganha, mas também que a gente gosta de assistir à evolução das coisas. Sentir raiva de ursos, torcer por professores de matemática (e contra penetras pobres), estas coisas. Mas ano passado esteve muito na cara, praticamente desde a primeira semana, que ia ser o Rafinha não importasse líder, anjo, Bial ou Deborah Secco que desde o ano passado se tornou, para mim, a figura mais importante de todos os BBBs. Não importava nada, o Rafinha era campeão: como expliquei, era o ano do NX Zero.

As pessoas estão preocupadas com essa galera que ta chegando do Bingo direto para o confinamento. A vovó Donalda e o vovô Donaldo. A preocupação geral é de que esse seja outro jogo ganho, só faltando decidir qual dos dois leva. Mary W acredita que isso não fará diferença. Que não é como quando entram os pobres, que já têm o jogo ganho. Eu fico com o meio termo: é cedo para saber se eles vão saber usar a idade para entrar na fila preferencial do banco. Resumindo muito, eles terão o argumento da terceira idade para se defender com o público (em outras palavras: se fazerem de vítimas*), mas a gente ainda não tem um programa pra saber o quanto eles são ou não espertos o bastante para usar isso. Jean usou homossexualidade para ganhar um milhão. Urso usou homossexualidade para fazer com que o Brasil inteiro quisesse enfiar dedos no seu cu.

Mas uma coisa é: pra mim, eles já largam com uma vantagem sim! Ainda que este não seja o ano do Nelson Gonçalves. E o ano do NX Zero também já passou. Inclusive agora eu corto o cabelo com frequência e tenho um emprego (para fazer pequenos trabalhos indignos com constância). Não sei do que é ano agora... talvez seja o ano do Créu, afinal, uma coisa a gente já sabe: a produção do BBB se encarregou de aproveitar a onda e fabricar sua própria Mulher Melancia.


A fórmula de usar o argumento da terceira idade com o público, a meu ver, é a seguinte: se fazer de vítima dentro da casa sim. Fulano me tratou assim porque eu sou velho, pode seguir esta linha. E fugir da imagem de isolado: manter aliança sólida com alguém que esteja do lado do bem. Algo me diz que a vovó tem mais potencial para saber fazer isto do que o vovô. Se não conseguir uma aliança sólida, deve-se manter reforçando a idéia de que vai ficar até o final e vencerá o grande inimigo que é a casa. Aí é aquela coisa: vira exemplo de luta e brasileiro gosta de quem mostra determinação em BBB. Quem não mostra isso, o público vota alegando que "fulano está tristinho e com saudade de casa". Vide Casa dos Artistas, o reality show que provou o quanto o público de reality show é do tipo que votou no Clodovil para deputado.

A princípio... vejam, eu disse A PRINCÍPIO, minha musa deste BBB será a Maíra. A princípio, porque ano passado eu paguei um sapo para a Gyselle nas primeiras semanas e depois decidi que não se paga sapo para gente que não toma banho. Maíra deverá ser da galera do bem e amiga da Michelle, que por sua vez tem cara de que pode ser a Sandy/Juliana (gata, mas mala) desta edição.

Este ano vou levar o BBB como algo pessoal. Tipo que se tiver algum equivalente de Rafinha, eu vou dar porrada na cara de todas as menininhas que torcem por ele e rasgar suas revistas Capricho e cadernos da Hello Kitty.

6 comentários:

Lucila disse...

tá impagável esse post, haha, "do bingo direto ao confinamento" e "Urso usou homossexualidade para fazer com que o Brasil inteiro quisesse enfiar dedos no seu cu."
é de um lirismo ímpar. não paro de rir.

remi malcoeur disse...

klein, i love you.

Mary W. disse...

o grande inimigo: a casa. klein. obrigada por me fazer ver a luz. tô começando a ficar com medo dos velhos.

Mary W. disse...

mas porém entretanto. NAO é o ano do nelson gonçaves. talvez seja o ano maysa. e quem beber todas, leva.

Rosilene disse...

Vai pra PQP .. esqueça o NxZero ..blogueiro (a) recalcado (o) kkk ainda ta mordidinho (a) pq a samanbaia não ganhou o BBB é ? Vai catar coquinhos vai ... e so uma correção no seu texto infeliz .. NxZero AINDA é a banda do momento .. quanto a sua preferida por onde anda mesmo heim ... ????

dan.zero disse...

eu adoro as tags do Klein: "INSS"... ahahahhah